domingo, 25 de outubro de 2020

FIJ: Marrom é o novo preto...


Ela é provavelmente a pessoa que mais gostou de seu tempo em Budapeste. Também é provável que continue a fazê-lo por muitos anos, mas a primeira vez sempre terá um gosto imbatível.

A jovem já tem um histórico invejável, ela sabe o que é ganhar, mas primeiro, o cartão de visita. O nome dela é Szofi Ozbas, ela tem 19 anos e é húngara. A essa altura da vida, ela já conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude, é campeã mundial junior e tricampeã européia junior. É o que se chama de prefácio promissor.

Grand Slam da Hungria foi seu primeiro torneio no World Judo Tour. É como entrar em uma boate pela primeira vez e descobrir que o que há dentro é melhor do que pensávamos.

Ozbas chegou à festa e imediatamente chamou a atenção ao vencer seus dois primeiros concursos. O terceiro foi o melhor momento para ela porque ela perdeu, mas não contra qualquer um; ela foi derrotada pela atual campeã olímpica e, por fim, pela vencedora do grand slam, Tina Trstenjak. Pode parecer contraditório, mas não é porque campeões não são construídos em um dia. É um longo aprendizado e Ozbas é a melhor aluna de sua geração.

Após a derrota, ela bateu um papo descontraído com Trstenjak, no qual a campeã explicou o segredo de seu sucesso: “Você precisa de uma estratégia e seguir o plano, tomando decisões e implementando-as”. Estas foram as palavras da eslovena.

Ozbas destacou como foi bem recebida pelos veteranos do World Judo Tour: "Me senti muito bem porque eles me receberam de braços abertos e aprendi muitas coisas."

A jovem judoca é natural, não hesita em confessar que antes da primeira luta tinha um nó no estômago. "Estava nervosa, claro, mas assim que pisei no tatame me concentrei e pude desenvolver meu judô."

A sua primeira festa na discoteca mais seleta terminou com uma medalha de bronze, um confronto com a campeã olímpica e alguns novos amigos. 

Depois, também, há o detalhe de sua faixa, a única marrom que brilhava como um farol no meio de uma tempestade. Ela também tem uma resposta para isso. "Eu poderia ser faixa preta, mas gosto da cor marrom."

Inteligente, talentosa e divertida, lembre-se do nome dela, Szofi Ozbas, porque uma nova estrela está se formando na galáxia do judô.

Por Pedro Lasuen - Federação Internacional de Judô

Foto: Gabriela Sabau


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria? Deixe um comentário!
Aproveite e seja um membro deste grupo, siga-nos e acompanhe o judô diariamente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pesquisa personalizada