terça-feira, 22 de setembro de 2020

FIJ oficializou o cancelamento do Grand Slam do Japão, que aconteceria em dezembro deste ano.


Depois de indicar a realização de três etapas para a retomada do Circuito Mundial de Judô em 2020, a Federação Internacional de Judô anunciou nesta terça-feira, 22, o cancelamento do Grand Slam de Tóquio, que aconteceria na capital japonesa, em dezembro. Em seu lugar, no mesmo período, a FIJ pretende alocar o Grand Prix de Zagreb, na Croácia. 

“Em razão da contínua incerteza ainda existente em torno da pandemia de Covid-19, além de considerar o fato de que o Japão é o país anfitrião dos Jogos Olímpicos, a IJF precisa ser extremamente cautelosa ao planejar eventos no Japão. Portanto, foi decidido cancelar o Grand Slam de Tóquio, anteriormente agendado para acontecer no Japão em dezembro”, justifica o comunicado oficial publicado pela entidade em seu site. 

Em relação aos outros dois eventos planejados para o retorno das competições internacionais, a Federação afirma que “decidiu também prosseguir com a organização de outros eventos, incluindo o Grand Slam de Budapeste no final de outubro. A IJF confirmará o Grand Slam de Budapeste no início de outubro, enquanto se aguarda uma decisão do governo húngaro.” 

O Qatar mantém sua posição de realizar o World Masters de 11 a 13 de janeiro de 2021.  

“O papel mais importante da Federação Internacional de Judô, e principalmente nesta situação, é proteger nosso esporte e nossos atletas. Em coordenação com todas as partes interessadas, continuaremos a fazer todo o possível para garantir a segurança de todos”, ressaltou o presidente da FIJ, Marius Vizer. 

Mudanças também no Campeonato Pan-Americano

Outra mudança no calendário internacional do Judô foi anunciada pela Confederação Pan-Americana de Judô nessa segunda, 21. A sede do Campeonato Pan-Americano Sênior, que seria em Montreal, Canadá, foi transferida para a cidade de Guadalajara, no México. 

Seleção brasileira compete neste sábado, em Portugal 

Enquanto aguarda as definições sobre o calendário internacional, a seleção brasileira de judô segue se preparando e treinando em Portugal. No próximo sábado, 26, dezenove judocas brasileiros participarão da Taça Internacional Kiyoshi Kobayashi, competição “amistosa”, que não integra o Circuito Mundial IJF, mas que servirá de preparação para o possível retorno das competições. 

Por: Assessoria de Imprensa da CBJ


Amapá: FAJ realiza cerimônia de premiação dos vencedores do Campeonato Amapaense de Judô Funcional


A Federação Amapaense de Judô realizou, no último sábado, 19, a cerimônia de premiação dos vencedores do 1º Campeonato Amapaense de Judô Funcional. Durante a solenidade, realizada na sede da FAJ, os judocas que ficaram nas três primeiras colocações subiram no pódio e receberam suas medalhas entregues pelo presidente Adriano Lins.

O campeonato, que foi disputado nos dias 7 de setembro a 12 de setembro, de forma 100% remota, definiu o time que irá representar o Amapá no Nacional de Judô Funcional, que começará no dia 28 de outubro, Dia Mundial do Judô.

Os campeões de cada classe e categoria foram classificados para a competição da CBJ.  57 atletas de oito clubes e academias participaram do campeonato, nas categorias leve e pesado das classes Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior, Veteranos 1 e Veteranos 2 .

Confira abaixo os medalhistas do 1º Campeonato Amapaense de Judô Funcional:

Classe1º Lugar2º Lugar3º Lugar3º Lugar
Sub-13 LeveHeloran Sena    
Sub-15 LeveYza Ferreira Savana Barros Helorrane Sena 
Sub-15 LeveNicolas LopesDanilo SáLuiz Oliveira 
Sub-15 PesadoAgatha RebouçaIsabelle de Castro  
Sub-18 LeveHayla PachecoClivia CruzPaloma Santos 
Sub-18 LeveIago OliveiraFranc FilhoAntonny MeloDiego Cruz
Sub-18 PesadoAne Santos   
Sub-18 PesadoCaio SeabraGleidson Pantoja  Bruno Barbosa 
Sub-21 LeveAdriane BarrosThauane Bastos  
Sub-21 PesadoEvany Ramos   
Sub-21 Pesado Matheus Gomes  Pedro SouzaWilliam Silva 
Sênior LeveGessyca SilvaMaria SilvaLais Fernandes 
Sênior LeveHermeson Saraiva Daniel CorrêaRobson SilvaAnderson Castro 
Sênior PesadoSamila CoelhoJorlene Santos  
Sênior PesadoMarinaldo PaivaAyrton LopesLucas Ramos 
Veteranos 1 Leve Alessandra Melo   
Veteranos 1 Leve Daniel CorrêaValderes Oliveira  
Veteranos 1 Pesado Maiara dos Santos Priscila OliveiraValdinete Ramos  
Veteranos 1 Pesado Fabio MachadoKilmer Facuri  
Veteranos 2 LeveConceição Quaresma  


 
Por: Federação Amapaense de Judô

Maranhão: Sensei Marcos Leite ministrará curso de Katame No Kata presencial

 
Katame-no-kata (em japonês: 固の形; lit. formas de domínio no solo) é um kata (um conjunto de técnicas pré-estabelecidas) do judô. O kata foi desenvolvido por Jigoro Kano, com o intuito de mostrar e desenvolver as técnicas de imobilização. 

Originalmente, possuía apenas dez técnicas principais, as quais foram depois sistematizadas e organizadas em 15, fixando-se na forma final. As técnicas foram agrupadas em três categorias: osaekomi waza, técnicas de imobilização; shime waza, técnicas de estrangulamento; e kansetsu waza, técnicas de luxação.

O curso, que conta com o aval da Federação Maranhense de Judô, será presencial e prático; e terá como ministrante o sensei Marco Leite, faixa preta 5° Dan da CBJ e responsável da Academia Ação.

Por: Boletim OSOTOGARI




segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Na Audiência Pública para concessão do Ibirapuera foi citado a transferência do judô para o Baby Baroni


A Audiência Pública sobre a concessão do Complexo esportivo do Ibirapuera foi realizado hoje, 21 de setembro, em ambiente virtual.

20 pessoas se inscreveram para falar na audiência que durou menos de 20 minutos, porém apenas três fizeram perguntas. Uma delas referia-se sobre a substituição das estruturas que seriam demolidas, dentre elas a Arena Olímpica do Judô.

A resposta do secretário de esporte, Aildo Rodrigues, é utilizar as instalações do Complexo Esportivo Baby Barioni, em reforma desde 2014, informando que o prédio de lutas está concluído e deve receber os treinos de judô.

Clique aqui e confira matéria completa do portal Olhar Olímpico.

Por: Boletim OSOTOGARI


Quarta-feira tem live com campeão olímpico Bernardinho


Motta convida para mais uma live "Jornada Heroica"  nesta quarta-feira, 23 de setembro, às 20h.

Desta vez o papo é com o técnico campeão olímpico Bernardo Rezende, o Bernardinho, que falará sobre Trabalho em Equipe,  uma das cinco competências do Esportismo.

Por: Boletim OSOTOGARI







22 de setembro, dia do Atleta Paralímpico. O esporte como ferramenta de transformação.

 


Evento online, gratuito e ao vivo pelas redes sociais do Comitê Paralímpico Brasileiro.

O evento contará com 2 mesas de bate-papo com atletas, influenciadores e especialistas do esporte.

Faça parte do evento e vamos juntos falar sobre a contribuição do esporte na vida da sociedade.

Quando? 22 de Setembro de 2020, no Dia Nacional do Atleta Paraolímpico.

Que horas? Das 15h às 19h.

Como faço para participar?

O evento será transmitido pelo Facebook e Youtube do Comitê.

Clique aqui e faça seu cadastro. Participe!


domingo, 20 de setembro de 2020

Em meio a pandemia, será protocolado amanhã (21 de setembro) projeto para privatizar o Ibirapuera


Um projeto que se arrasta há algum tempo sobre a privatização do Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães, no Ibirapuera, será protocolado nesta segunda-feira, 21 de setembro.

A ação, se efetivada, atingirá diretamente o Centro de Excelência de Judô (Projeto Futuro) que atua na Arena Olímpica dentro do Complexo Esportivo do Ibirapuera. 

O futuro do Projeto Futuro será uma incógnita, que somado à crise sanitária e um retorno das atividades sem previsão exata de data, agora passa por mais uma crise em sua história. O Projeto Futuro ajudou a formar inúmeros atletas de alto nível e medalhistas olímpicos, passou por crises e dificuldades estruturais de de gestão e sempre sobreviveu.

Apesar da utilização do complexo ser reservado em decreto para instalação e manutenção esportiva, a concessão de uso privatizado está previsto a demolição dos equipamentos esportivos, que incluirá a Arena Olímpica do Judô. O único que não será demolido será o ginásio principal (Geraldo José de Almeida) palco de eventos esportivos históricos, que será transformado em um shopping center, ou seja, o Ibirapuera não será mais um complexo esportivo se, ou quando, a privatização ocorrer.

O protocolo será entregue nesta segunda, mas uma dúvida paira no ar: O Estado quer privatizar, porém o terreno pertence à prefeitura de São Paulo. E então, como será esse processo? Clique aqui e entenda o caso na matéria do Olhar Olímpico.

Com o andar do processo, para o Centro de Excelência do Judô, o que será realizado para a manutenção do projeto? Vamos acompanhar o processo.

Clique aqui e confira todo o processo para a Concessão do Complexo Esportivo do Ibirapuera. 

Por: Boletim OSOTOGARI









Terça-feira tem "Jornadas Heroicas" com Rodrigo Studart

 

Motta convida para mais uma live "Jornada Heroica"  nesta terça-feira, 22 de setembro, às 18h.

Desta vez o papo é com o Fundador da Lowko, Rodrigo Studart,  que falará sobre Estratégia,  uma das cinco competências do Esportismo.

Por: Boletim OSOTOGARI








Hoje, 20 de setembro, Carlos Honorato comemora 20 anos da conquista em Sydney


Imagine ser convocado para lutar nos Jogos Olímpicos 3 dias antes do embarque e voltar de lá com a Medalha de segundo lugar!

Hoje é dia de celebrar os 20 anos de um uchi-mata histórico, da força de vontade, da perseverança e do dia mágico do guerreiro Carlos Honorato em Sydney 2000! 

Qual é a sua principal lembrança deste dia?

"Tenho dois momentos inesquecíveis desse dia: O belíssimo ippon que dei de uchi-mata no japonês Hidehiko Yoshida, nas quartas-de-final, e o momento que é anunciado seu nome e você sobe para receber a medalha, o ápice".

Clique aqui e confira matéria de Carlos Honorato na revista Simplesmente Judô.

Com informações da Assessoria de Imprensa da CBJ.

sábado, 19 de setembro de 2020

Kimonos Shihan promoverá sorteio de kimono no Instagram


No mês de outubro a Kimonos Shihan sorteará um kimono ROSA modelo Scorpion de Jiu Jitsu para a campanha Outubro Rosa.

Confira as regras:

1 - Seguir @shihan_kimonos

2 - Seguir @scorpionkimonos

3 -Marcar 03 amigos nos comentários (não vale perfil falso, famoso, empresa ou blogs).

4 - Deixar o perfil liberado no dia do sorteio.

5 - Comentar somente na foto oficial do Instagram @shihan_kimonos.

Sorteio válido para todo o Brasil.

Dia do sorteio: 28 de outubro

Horário do sorteio: 16h.

O contemplado será informado via direct do Instagram.

Participe!

A Kimonos Shihan faz parte da equipe de sponsors do Boletim OSOTOGARI.

Por: Boletm OSOTOGARI


Vem aí o 1º Campeonato Sudamericano de Judô Virtual

 

A Confederação Sudamericana de Judô informa a realização do 1º Campeonato Sud Americano de Judô Virtual em novembro.

Segundo o presidente da entidade, Luiz Pavani, em breve a data oficial será divulgada, mas adianta que será em novembro.

Assim que a data e o regulamento estiver disponível, divulgaremos no boletim OSOTOGARI.

Por: Boletim OSOTOGARI



Rio Grande do Sul: Judô é beneficiado com liberação do esportes coletivos


Desde segunda, 14 de setembro, o Governo do Rio Grande do Sul liberou o retorno dos esportes que tenham contato físico entre os participantes.

A medida abrange vários setores, dentre eles, o judô!

Em Lajeado a Associação de Judô Lajeado, a Ajula, retornou com os treinamentos com o contato físico entre os judocas.

Segundo relato do professor e presidente da Ajula, Nelson Sánches, a modalidade passou por dificuldades, com o dojô fechado entre março e maio.

O retorno foi gradativo com turmas reduzidas e limitação de espaço. O contato físico não era permitido.

Com o novo decreto, os judocas podem ter contato físico, ocasionando mais dinâmica nas aulas e treinos. Apesar da diminuição do número de atletas, redução contabilizada de 50%, o retorno de aulas com contato cria a expectativa de que os alunos retornarão.

"Conseguimos mostrar para os pais que estamos com todos os protocolos, com organização e higienização, e que cuidamos de nossas crianças", disse o professor Nelson.

Os pequenos judocas estão felizes com o aumento de possibilidades para o judô na pandemia. A judoca Clara de Moura Sánches, 07 anos, disse que é bom voltar a encostar nos colegas, "porque a gente consegue fazer as técnicas direitinho". E revela: "Gosto do sensei, gosto de fazer as técnicas e gosto de brincar com meus amigos aqui no judô".

A alegria do retorno se extende aos pais, que sentem a importância do judô na saúde física e mental dos filhos, bem como a construção de valores.

Hoje a Ajula recebe crianças e adultos, com foco nos pequenos, apapartir do 04 anos. O sensei explica: "É uma formação para eles, em que se trabalha com muitos princípios do judô, seja honestidade, coordenação motora, disciplinas e organização. Não só no tatami, mas é algo para ser levado para a vida toda".

Com informações do independente.com


Brasil terá 19 atletas na Taça Internacional Kiyoshi Kobayashi, em Portugal


O judô brasileiro será representado por 19 atletas na disputa da Taça Internacional Kiyoshi Kobayashi, no próximo dia 26 de setembro, em Coimbra, Portugal. Essa será a primeira competição da seleção desde a paralisação dos eventos internacionais causada pela pandemia de COVID-19. O evento, organizado pela Federação Portuguesa de Judô, não distribui pontos no ranking mundial IJF, e deve contar com atletas de outros países, como Porto Rico, Guiné Bissau, além dos anfitriões portugueses.  

Nas chaves femininas, o Brasil terá Nathália Brígida (48kg/Sogipa/RS), Eleudis Valentim (52kg/Instituto Reação/RJ), Jéssica Pereira (57kg/Instituto Reação/RJ), Ketleyn Quadros (63kg/Sogipa/RS), Ellen Santana (70kg/EC Pinheiros/SP), Maria Portela (70kg/Sogipa/RS) e Laislaine Rocha (78kg/SESI/SP).  

“O objetivo que pretendo alcançar é, principalmente, retornar às competições, conhecer a nova categoria, sentir se estou pronta e preparada, se meus golpes estão saindo e se meu ritmo de luta está bom após todo esse período sem competições”, projeta a carioca Jéssica Pereira, que saiu do meio-leve (52kg) para o peso leve (57kg) neste ano e pode ter a oportunidade de encarar uma das principais atletas dessa categoria, a portuguesa Telma Monteiro, bronze no Rio 2016. 

Já nos pesos masculinos, a seleção será formada por Allan Kuwabara (60kg/Paineiras do Morumby/SP), Felipe Kitadai (60kg/Sogipa/RS), Renan Torres (60kg/SESI/SP), Willian Lima (66kg/EC Pinheiros/SP), David Lima (73kg/Sogipa/RS), Eduardo Katsuhiro (73kg/Paineiras do Morumbi/SP), João Pedro Macedo (81kg/Sogipa/RS), Guilherme Schimidt (81kg/Minas Tênis Clube/MG), Marcelo Gomes (90kg/Sogipa/RS), Rafael Buzacarini (100kg/Paineiras do Morumby/SP), Thiago Palmini (+100kg/Minas Tênis Clube/MG) e Rafael Silva “Baby” (+100kg/EC Pinheiros/SP).    

“Estou com uma grande saudade de competir. Depois desse período de treinamento aqui em Coimbra me vejo preparado para voltar a competir. Sinto saudade da adrenalina. Com essa paralização dei uma pausa na busca pelos meus objetivos, mas me mantive motivado e evoluindo nesse momento difícil para retornar com força total”, conta o caçula da equipe, Guilherme Schimidt, de apenas 19 anos, medalhista de bronze no Mundial Júnior do ano passado.  

Pelo caráter amistoso da competição, que não conta pontos para o ranking mundial, e pelas fases individuais de preparação de cada atleta, alguns judocas, que também estão em Portugal, foram poupados desse evento.  

A Taça Kobayashi marcará ainda a despedida do Judô brasileiro de Portugal. No dia 25 de setembro, a seleção completará 70 dias de treinos em Coimbra proporcionados pela Missão Europa, do Comitê Olímpico do Brasil, que encontrou em Portugal a alternativa para retomar os treinos dos atletas brasileiros em ambiente mais seguro do que no Brasil em meio à pandemia do novo coronavírus.  

A perspectiva para o retorno das competições oficiais da Federação Internacional de Judô é para outubro, com o Grand Slam de Budapeste, na Hungria, nos dias 23, 24 e 25. 

Por: Assessoria de Imprensa da CBJ


Amapá: Professores e monitores do Projeto Social Esportivo recebem uniformes


Professores e monitores do Projeto Social Esportivo receberam HOJE, 19 de setembro, os uniformes oriundos da parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá via Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas-VEPMA. 25 Professores/monitores (faixas pretas e marrons)foram beneficiados. Aos poucos as atividades estão retornando obedecendo os decretos governamentais. 


Clique aqui e se inscreva no canal!

Por: Antonio Viana - Amapá


20 anos de Sydney: Tiago Camilo e Carlos Honorato relembram os momentos inesquecíveis de suas medalhas olímpicas


Conquistar uma medalha olímpica é o sonho que move e inspira os atletas. Vinte anos atrás, o trabalho duro, a dedicação e a perseverança levaram dois judocas brasileiros a ouvir seus nomes serem chamados para subir ao pódio dos Jogos Olímpicos de Sydney 2000. Tiago Camilo e Carlos Honorato nunca mais esqueceriam os dias que marcaram suas vidas e suas carreiras ao receberem suas tão sonhadas medalhas olímpicas.

Tiago Camilo lutava no peso Leve (-73kg) e tinha apenas 18 anos quando, no dia 18 de setembro de 2000, entrou no tatame, em Sydney, para enfrentar, na semifinal, o sul-coreano Youg-Sin Choi, no combate que mudaria sua carreira e garantiria sua medalha olímpica. Após superar seu adversário por ippon, garantindo sua classificação à final, Tiago teria que passar pelo italiano Giuseppe Madaloni para fechar sua primeira participação olímpica no topo do pódio. 

No entanto, ao tentar aplicar um golpe em seu adversário, o judoca brasileiro acabou sofrendo o ippon e ficou com a prata. Apesar da frustração momentanea pela amarga derrota numa final olímpica, Tiago entendeu, ao subir ao pódio, a grandeza de uma medalha olímpica, independentemente da cor e trouxe para casa uma doce lembrança.

"Tenho grandes recordações e boas memórias daquele dia. Foi um dia especial que ficou guardado na minha memória, no meu coração, que eu trago e carrego até hoje. Foi um dia de muita batalha, de lutas díficeis, finalizando com a medalha de prata, no pódio, com a bandeira do Brasil subindo. Uma grande conquista com apenas 18 anos”, relembrou. 

No caminho até o pódio, ele saiu atrás no placar e precisou correr atrás do resultado em suas três primeiras disputas. Na estreia, após sofrer um waza-ari do israelense Gil Offer, com apenas 50 segundos de combate, Tiago achou um ippon faltando menos de 1 minuto para o fim do combate. Contra o argeliano Nouredinne Yagoub, na segunda luta, o judoca brasileiro sofreu um yuko e respondeu com outro ippon faltando menos de dez segundos para o final. Já nas quartas-de-final a um passo da disputa de medalhas, após estar perdendo por um waza-ari e um koka, o paulista empatou o combate ainda com menos de 2 minutos para o fim e ganhou o duelo por decisão unânime dos árbitros.

“Eu fico extremamente feliz, foi uma conquista que abriu as portas para minha jornada olímpica. Já havia conquistado outros títulos mundiais - juvenil e júnior - dois anos atrás, só que essa foi a grande conquista que me projetou no cenário mundial. São 20 anos de boas lembranças e uma jornada de muita dedicação, de muito carinho e muito amor ao esporte. Faço isso com muito carinho, para que outros atletas, outras crianças, sejam impactados pela minha jornada", resume o judoca que, oito anos depois, conseguiu uma dobradinha conquistando o bronze em Pequim 2008.

Um ippon inesquecível

Carlos Honorato havia perdido a final da seletiva nacional e, também, a chance de representar o Brasil nas Olimpíadas de Sydney 2000. Porém, por um acaso do destino, o titular brasileiro do peso médio, Edelmar “Branco” Zanol, se contundiu, cabendo a Honorato a grande missão de ir buscar uma medalha olímpica.

Diante do japonês Hidehiko Yoshida, Carlos Honorato faria a luta que transformaria sua vida e faria o mundo do Judô reconhecer seu nome. Ao enfrentar o campeão mundial, o judoca brasileiro aplicou um uchi-mata monumental, que acabou por ocasionar uma fratura no braço do japonês, lembrado até hoje por Honorato: “Eu acho que são dois momentos (inesquecíveis). Primeiro, o belíssimo ippon que eu dei de uchi-mata no japonês Hidehiko Yoshida, nas quartas-de-final. Foi um momento muito feliz para mim.”

Na grande final, o brasileiro enfrentou o holandês Mark Huizinga e, após sofrer um contra-ataque, faltando menos de um minuto para o fim da luta, levou para casa a medalha de prata. Vinte anos depois, o judoca relembra com carinho o momento inesquecível em que subiu ao pódio olímpico.

“O momento que a gente já está ali atrás do pódio, que é anunciado seu nome e você sobe para receber a medalha, eu acho que é o momento ápice. Todo mundo está te aplaudindo, você está subindo no pódio e recebendo sua medalha junto com as flores. Eu acho que ali é o momento que mais marca”, contou Honorato.

Antes de conquistar a tão sonhada medalha olímpica, ele precisou derrotar grandes adversários. Na primeira rodada o peso médio brasileiro venceu o indonésio Krisna Bayu. Já nas oitavas de final, Honorato teve um duro duelo contra o espanhol Fernando Gonzalez, conquistando sua vitória e a vaga para as quartas-de-final por decisão dos árbitros. Após passar pelo japonês Yoshida e chegar à semifinal, Horonato garantiu sua presença no pódio ao derrotar francês Frédéric Demontfaucon.

“Então, no dia da minha medalha mesmo, são esses dois momentos. O momento do uchi-mata, que eu nunca vou esquecer, e eu acho que acabo sendo reconhecido ainda por causa disso, e, para mim, pessoalmente, o momento em que eu subi no pódio, com o anúncio do meu nome”, finalizou o ex-atleta.

Com essas duas medalhas de prata o judô brasileiro manteve sua tradição de pódios em Jogos Olímpicos. De Los Angeles 1984 ao Rio 2016, o Judô subiu ao pódio em todas as edições. Ao todo, são 22 medalhas olímpicas na história, que transformaram o Judô na modalidade mais vitoriosa do Brasil.  

Por: Assessoria de Imprensa da CBJ


sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Instituto Camaradas Incansáveis retorna aos treinos com toda precaução que a ocasião demanda

 

O Instituto Camaradas Incansáveis (ICI), respeitando todos os protocolos indicados pelas autoridades sanitárias e governamentais retornou com os treinamentos de judô no Coliseu, apelido carinhoso dado ao Centro de Treinamento Sergio Roberto Caldas Junior, Dojô Vinícius Erchov. Um centro de treinamento completo para a prática do judô fundado há mais de dois anos pelos judocas Rodrigo Motta, Cristian Cezário e Bajé.

No destaque, um pouco sobre mais uma semana incansável com os atletas mirins! Parabéns aos pequenos camaradas, disse o professor das aulas infantis, Gustavo Uchôa.

Para informações sobre as aulas infantis contate: contato@icijudo.com.br

Instituto amaradas Incansáveis
Rua Barão do Bananal, 475, Vila Pompéia - São Paulo
www.icijudo.com.br

Por: Boletim OSOTOGARI



São Paulo: Judô do CMSP está de volta ao Dojô


A partir do dia 22 de setembro as atividades de Judô no Círculo Militar de São Paulo serão reiniciadas obedecendo aos protocolos de segurança contra a pandemia de Covid-19, essenciais para evitar a transmissão do vírus, assim oferecendo mais horários de treino e diminuindo o número de alunos por turmas, atendendo a todos com qualidade de ensino e preservando a saúde física e mental dos praticantes. 

Os horários de treino oferecidos aos associados serão feitos por meio de agendamento prévio com no máximo 8 atletas por turma que estarão subdivididos no dojô para atividades individuais, sem contato físico em um espaço de 6m para cada aluno. 


Segundo o Sensei Fernando Catalano, o retorno ao treinamento de Judô deve ser progressivo, uma vez que os alunos ficaram praticamente seis meses sem o seu aprimoramento técnico e manutenção de seu condicionamento físico competitivo e necessitam de uma readaptação fisiológica aplicada ao esforço físico para evitar possíveis lesões. Neste primeiro momento utilizaremos métodos de treino individuais, conhecidos como Tandoku Renshu (sombra), sem contato físico por meio do treinamento funcional com o uso de  equipamentos diversificados que aumentam gradativamente a intensidade dos exercícios, reestabelecendo as capacidades físicas de força, velocidade, resistência e flexibilidade, bem como aprimorando os movimentos coordenativos específicos das técnicas do Judô. 

O departamento de Judô do CMSP parabeniza a Diretoria de Esportes do Clube pela coragem e engajamento do retorno das atividades da modalidade, certos de que atenderemos a todos os praticantes de Judô associados no clube de forma segura e com qualidade.

Por: Departamento de Judô do Círculo Militar de São Paulo

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

São Paulo: Projeto Budô retoma as aulas com adaptação e tradição

 

A partir de um grupo que se formou em 1999, fundou-se, em 2005, o Projeto Budô. Em março de 2006 filiou-se à Federação Paulista de Judô, 1ª Delegacia Regional da Capital, e possui atletas federados na primeira e segunda divisão.


Sua diretoria é composta por:

Presidente: Vinicius Erchov – 5º. Dan
Vice-Presidente: Roberto Albanese – 2º. Dan
Diretor Conselheiro: Rodrigo Motta – 6º Dan
Diretor Comercial: Daniel Betinassi
Diretor de Eventos: George Erwin – 2º. Dan
Diretor de Marketing: Guilherme Izquierdo – 2º. Dan

A exemplo das demais academias e clubes, fizeram uma pausa em 14 de março para enfrentar a crise sanitária mundial, incentivando seus alunos e familiares a realizarem o isolamento social.

Então, em 17 de agosto, retomaram suas atividades, tomando todos os cuidados e adaptações necessárias para enfrentar o novo normal que chegou.


Adaptado, sim! Tradicional, sempre! Vem pro Judô, vem pro Projeto Budô! disse o presidente Vinícius Erchov.


Confira a grade de aulas:
Segundas e quartas: 
20h00 às 21h30 (crianças e adultos) 
Terças e Quintas: 
17h20 às 18h00 (Pré Judô - 4 anos e 6 meses a 6 anos)
18h40 às 20h00 (crianças a partir de 6 anos)
20h30 às 22h00 (13 anos e acima)
Sábados:
10h30 às 12h00 (crianças e adultos).

Clique aqui e confira o protocolo de reabertura dos treinos.

Clique aqui e acesse o site do Projeto Budô.

O Projeto Budô faz parte da equipe de sponsors do boletim OSOTOGARI.

Por: Boletim OSOTOGARI



Rio Grande do Sul: FGJ realiza mais uma live na próxima segunda-feira


A Federação Gaúcha de Judô promove, na próxima segunda-feira, 21 de setembro, mais uma live em seu canal do YouTube. O tema do próximo encontro virtual será “Ética e Judô: Uma abordagem interdisciplinar”. O evento será mediado pelo presidente da FGJ, César Cação, e terá a participação de Gustavo Tanger Jardim, mestre em Direito e membro do TJD/FGJ, e Guilherme Tanger, Jardim, doutor em Direito.

De acordo com a Comissão de Graus, o evento será utilizado no processo de promoção à faixa preta e dans superiores, valendo 20 pontos no currículo, de acordo com o boletim 31/2020 da FGJ.

Por: Assessoria de Imprensa da Federação Gaúcha de Judô


Judoca e ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto é promovido à faixa-preta


O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República do Brasil, Walter Braga Netto, é judoca e, nessa quarta-feira, 16, foi homenageado pela Federação Mineira de Judô, à qual é filiado. Em solenidade realizada em seu gabinete, em Brasília, Braga Netto recebeu certificado de promoção de grau (1º Dan) e a faixa preta de Judô das mãos do campeão olímpico e diretor geral do COB, Rogério Sampaio, e do professor Antônio Carlos Costa, presidente da Comissão de Graus Superiores da FMJ. 

“A promoção de faixa do ministro Braga Netto à faixa preta é um reconhecimento por anos de prática da modalidade. O ministro foi competidor em sua juventude e se desenvolveu também como competidor no desporto militar, como judoca. Os valores do Judô, que são extremamente importantes para todo praticante, são desenvolvidos em seu dia-a-dia e em suas atividades, valores como: respeito, amizade, coragem e humildade”, destacou Sampaio. 

A homenagem foi uma iniciativa da Federação Mineira de Judô, presidida por Nédio Henrique Pereira que, assim como Braga Netto, é ex-aluno do Colégio Militar de Belo Horizonte.  

“O judô mineiro celebra a entrega da faixa preta ao ministro Braga Netto, ex-aluno do Colégio Militar de Belo Horizonte. Os judocas egressos do CMBH destacaram que o ministro sempre foi um grande companheiro, dotado de espírito de camaradagem e atento às virtudes estabelecidas no código moral do judô: cortesia, coragem, honestidade, honra, modéstia, respeito, autocontrole e amizade”, pontuou o presidente da FMJ, que participou da solenidade de forma remota.

A CBJ, por meio de seu presidente Silvio Acácio Borges, apoiou a iniciativa da FMJ e também prestigiou a solenidade de outorga de faixa e diploma de forma remota.

“A outorga dessa faixa preta, símbolo da excelência, da disciplina, do respeito e da persistência no nosso esporte é um justo reconhecimento ao senhor Ministro Braga Netto em seus serviços prestados ao nosso país, tanto como estadista, quanto como judoca. Que essa faixa preta lhe traga ainda mais força e coragem, dentro ou fora dos tatames. É uma honra para o judô brasileiro tê-lo como membro da nossa família”, concluiu o presidente da CBJ. 

Por: Assessoria de Imprensa da CBJ


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pesquisa personalizada